Não foi só o cabelo que mudou - Série Minha Transição

28 de setembro de 2016
Oi amores, tudo bem?

Como muita gente sabe, transição capilar é uma mudança que ocorre de dentro pra fora. E na minha transição, aprendi coisas que vão muito além de cuidados com o cabelo. 


Mais que um novo cabelo: uma nova pessoa


Assim como nenhum cabelo é igual, o processo da transição varia de pessoa pra pessoa. Como eu já falei antes, eu não comecei a química por causa dos tais padrões de beleza (pelo amor de Deus né, eu era tão pequena que não sabia nem o que era padrão, pra mim era coisa de comer kkkk #brinks). Minha mãe só queria cuidar do meu cabelo de forma prática, porque antigamente não tinha tanta dica pra cabelo crespo/cacheado como se tem hoje, então sofria eu por ela pentear meu cabelo seco e doer horrores, e sofria ela por me ver sofrendo (e também a mão dela devia doer pra me pentear porque o bombrilzinho não era mole não hahahaha).

E o maior motivo pra eu tomar a decisão de me livrar dos relaxamentos foi a falta de dinheiro. Claro, às vezes eu me sentia um pouco escrava da química, e queria relembrar como era meu cabelo natural. Mas eu me sentia feliz relaxando, sabem? Ainda mais no início de 2015, quando meu cabelo já tinha crescido bastante e eu conseguia alcançar uma definição quase tão perfeita quanto à das cabeleireiras do Beleza Natural (aliás elas sempre elogiavam meu cabelo quando eu ia retocar).



Mas a felicidade que sinto hoje com meu cabelo quase 100% natural é MUITO maior (enquanto que o dinheiro que eu gasto é muito menor hahahaha). E com esse novo cabelo, descobri novos penteados e cuidados; meus looks, meu jeito de me maquiar e até o jeito como vejo as coisas mudaram, e também passei a me sentir mais bonita e confiante. Ainda não sou tanto como queria ser, mas já evoluí muito.

Cabelo crespo dá mais trabalho?


Quem diz que não dá trabalho tá tentando iludir os outros! Dá uma trabalheira danada hahahaha!

Brincadeiras à parte, meu crespinho tá dando trabalho sim, às vezes me tira a paciência. Só que todo mundo que quer ter um cabelo bonito e saudável sofre um pouquinho, né non? Pra mim não tem essa de que certos tipos de cabelo são mais trabalhosos que outros; cada tipo exige técnicas diferentes, mas não importa se é liso ou cacheado, natural ou com química: todo cabelo dá trabalho

Compreendendo e respeitando o cabelo alheio


Abandonar a química foi uma das melhores coisas que eu fiz na vida e eu super recomendo. Mas sei que nem todo mundo está disposto a fazer o mesmo. Minha mãe, por exemplo, é dona de um 4c lindo, mas ela se sente mais bonita e feliz relaxando. Bem que eu gostaria que ela assumisse de volta o blackzão, até porque o dinheiro que ela gasta no salão poderia ser usado pra outras coisas (meu Deus, vocês devem estar achando que eu só penso em dinheiro kkkkkkk), mas se ela se sente bem assim, então eu tenho mais é que respeitar e me sentir feliz por ela! Se um dia ela topar a transição, maravilha; mas se não topar, quem sou eu pra impor?

Da mesma forma que é super chato quando a gente tá na transição e alguém vem dizer pra gente "nossa, seu cabelo é mais bonito liso", "por que você não continua com a progressiva?" "cabelo cheio não combina com você", e outras coisas mais, também acho péssimo quando uma pessoa tenta impor a transição a outra. Não vejo isso com tanta frequência, mas que acontece, ah, acontece! Uma coisa é a gente incentivar e apoiar, outra coisa é chegar pra pessoa e dizer "larga essa chapinha", "se liberta dessa química", "você tem que assumir suas raízes", "faz logo esse big chop", meio que obrigando a pessoa a entrar na transição.

Há pouco tempo, conversando com a minha mãe no café da manhã, eu disse a ela que "não tem nada melhor do que ser feliz com o cabelo que Deus nos deu". Mas tudo tem seu tempo, e temos que respeitar o tempo e as decisões do outro. Se for pra pessoa continuar na química, ela vai continuar, e se for pra ela parar, tudo vai acontecer quando tiver de acontecer, e o próprio Deus vai tocar no coração da pessoa quando esse tempo chegar, assim como Ele tocou no meu coração.


***

E assim terminamos a série. Vou confessar uma coisa: saiu totalmente diferente do que eu planejei. Eu ia dar dicas, indicar produtos, mas acabou que a série inteira foi contando minha história hahaha! Mas sabem de uma coisa? Acho que foi bem melhor assim! Foi maravilhoso me abrir com vocês e receber tantas palavras de carinho e incentivo. Espero que vocês tenham gostado tanto como eu gostei.

Pintou alguma dúvida sobre meu cabelo? Alguma sugestão de post sobre o assunto (ou sobre outros assuntos)? Podem deixar aqui nos comentários eu amo quando vocês comentam!!! Ah, e em breve teremos mais séries com outros temas, ok? Beijos e até a próxima!

Perdeu os posts anteriores? Cola aqui!


18 comentários:

  1. Muito bacana seu texto, Ana Paula! :)

    Meu cabelo é meio crespo, meio liso e também sempre alisei. Não consigo gostar do jeito meio-termo-nem-lá-nem-cá dele. Mas está super certa: import a própria conduta nos outros é o pior. E se sentir bem com você mesma é o máximo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Ana! Muito obrigada!
      Beijão!

      Excluir
  2. Acho que o problema começa na imposição de padrões de beleza. O natural deveria ser mais valorizado e as pessoas deveria ser livres pra se amarem do jeito que são. É difícil dizer o quanto do gosto tem a ver com uma vontade intima e quanto é uma coisa internalizada da cultura. Sempre digo isso ai, que todo cabelo dá trabalho e que no fim das contas, cabelo com quimica é o mesmo trabalho do que o natural crespo. Muita gente acha que ter o cabelo natural liso é fácil, mas eu por exemplo tenho que lavar o cabelo todo dia porque é muito oleoso, e muita gente tem preguiça. Também tenho que cortar mais vezes pra ele não ficar comprido demais, pra ter um formato. E eu não acho fácil nem shampoo pro meu tipo de cabelo porque todo mundo acha que não precisa de cuidado. Claro que pra mim é fichinha porque a vida toda eu tive que cuidar dele, mas de perto, todo mundo tem seus prooblemas.

    Tenho certeza que se você decidir fazer um post de dicas vai ter muitos leitores, embora cada experiência seja diferente, todo mundo pode aprender um pouco com os outros ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que atualmente, com tanta gente assumindo os cachos, o natural tem sido bem mais valorizado do que era antes. Mas é como eu disse, é uma mudança que acontece de dentro pra fora. Muitas barreiras tem sido quebradas, mas acho que a maior barreira é a que cada um leva dentro de si.
      E a maioria das pessoas acha mesmo que cabelo liso é mais fácil de cuidar, eita povo iludido hahaha! Não sei se eu no seu lugar conseguiria lavar meu cabelo todo dia, ainda mais nos dias frios, certeza absoluta que eu estaria sempre com a rinite atacada! Não tem jeito mesmo: todo tipo de cabelo tem suas dificuldades na hora de cuidar!
      Muito obrigada pela sugestão, vou reunir minhas dicas preferidas e trazer pra cá! Beijão, Vy! <3

      Excluir
  3. Acompanhei todos os posts e tenho adorado conhecer um pouquinho da história da sua transição. Você é uma pérola, linda com qualquer cabelo ♥.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh Camilla, sua fofa, assim você me derrete hahahaha!
      Muito obrigada por ter acompanhado, e fico muito feliz que você tenha gostado. Beijão! ♥

      Excluir
  4. Adorei o seu texto! Acho que as pessoas deveriam ter, acima de tudo, respeito, como você citou. Seu cabelo é lindo demais! Beijinhos <3

    www.nathaliaorige.com

    ResponderExcluir
  5. Que post lindo! Adorei conhecer a sua transição! Acho incrivel quem faz porque sei que tem que ter tempo e paciencia mas acredito que vale mt a pena. Cê é linda, amei o cabelo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Liz! Olha... bota tempo e paciência nisso hahaha! Mas vale a pena meeeesmo!
      Beijão!

      Excluir
  6. Guria, teu cabelo é lindo!! E tu pode fazer o que quiser com ele: seja fazer relaxamento, ou deixar natural! Desde que tu esteja feliz, é o que importa!! <3

    ResponderExcluir
  7. Eu sou da seguinte opinião: faça o que for mas você tem que se sentir bem. Eu não me sito nada bem com meu cabelo cacheado, dá muito trabalho, eu não me reconheço sabe? Então gosto de alisar. Se for pra fazer qualquer coisa, faça por você e não pelos outros. Que bom que você está feliz com a sua decisão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí! Se é mais prático pra você, e é assim que você se sente bem, então pra quê parar de alisar? A não ser que no futuro você sinta vontade de mudar, mas é uma coisa que tem que partir de você, não dos outros! Ninguém melhor pra conhecer nosso cabelo e saber o que é melhor pra ele, do que nós mesmos!
      Beijão, Júlia!

      Excluir
  8. Ahh vc ficou maravilhosa!!! Apoio completamente. Mas também concordo que não deve ser obrigatorio voltar ao natural pra todo mundo. Eu aliso também, passei tres anos sem fazer a definitiva. Achei que ia conseguir ficar sem. Mas é bem o que vc disse, dá trabalho. E eu não tenho tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Julia!!
      Também concordo! Mesmo dando trabalho, gostei muito do resultado da transição, mas se não tivesse gostado, na primeira oportunidade eu voltaria pro relaxamento SIM!
      Beijão!

      Excluir
  9. Gostei do teu post, não importa o que os outros vão falar, faça o que lhe faz feliz, o que lhe trás paz. Afinal se formos ligar para o que os outros vão pensar nunca vamos viver do jeito que é pra se viver, sendo a gente mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Angelina!
      Pois é, nada melhor do que sermos nós mesmos!
      Beijão!

      Excluir