(Re)descobertas - Série Minha Transição

20 de setembro de 2016
Oi amores, tudo bem?

Nos últimos posts da série, vocês viram uma tag sobre o meu cabelo e conheceram um pouco sobre a minha história com a química. Muita gente tá curiosa pra ver como meu cabelo tá atualmente, então tenho boas notícias: chegou o grande dia.


Mas calma, do último relaxamento até os dias atuais, muita coisa rolou. Bom, depois de decidir assumir o naturalzão em abril de 2015, eu continuei cuidando com os produtos do Beleza Natural, mas comecei a pesquisar outras alternativas que pudessem ajudar meu cabelo a crescer rápido e saudável, principalmente receitas caseiras. Foi nessa brincadeira que eu descobri a existência do famoso cronograma capilar, e receitinhas maravilhosas como hidratação com maisena e umectação com óleos naturais (eu fazia muito com azeite, que era o que tinha aqui em casa). Também comecei a cortar de pouquinho em pouquinho, com a ajuda de alguns vídeos do youtube.

Com isso, a parte natural crescia saudável como eu queria, e a parte "alisada", mesmo com um pouco de quebra e pontas duplas, tinha brilho, balanço e continuava formando cachos incríveis. A raiz altinha fazia o cabelo ficar um pouco mais cheio, e eu simplesmente amava esse efeito. Daí eu via as meninas falando que transição era difícil e tals, uma colega minha da faculdade que também passava pela transição dizia que chegaria um momento em que as pessoas começariam a achar meu cabelo feio... mas eu não passava por nada disso, pelo contrário, só ouvia elogios e me sentia cada dia mais linda! E só tinha apelado pela chapinha 2 ou 3 vezes. Tudo ia fácil demais, mal sabia eu que essa facilidade tinha prazo de validade.

Uma foto publicada por Ana Paula • Uma tal Xavier (@aninhaxavii) em

Julho de 2015. Meu cabelo já começava a ficar farofado, mas dava pra levar de boa. Estava eu na passando uma semana na casa de uma amiga, quando começamos a falar sobre cabelo. Papo vai, papo vem, e ela se ofereceu pra cortar um pouco. Eu não tinha dinheiro pra cortar no salão mesmo, e já tinha feito uma leve besteira umas 3 semanas antes cortando sozinha, então aceitei. Ela não é profissional, mas é autodidata e estava acostumada a cortar o cabelo da avó, e já tinha feito escova no meu 2 vezes. Meu cabelo ficou meio curtinho, mas eu gostei porque deu bastante volume. Só que mais ou menos uns 2 dias depois, ainda na casa dessa amiga, fizemos uma bela de uma titica: descolori as pontas, ou melhor, quase metade do comprimento, usando água oxigenada 40 volumes. Um cabelo já fragilizado pela química recebeu outro processo químico por cima.

Uma foto publicada por Ana Paula • Uma tal Xavier (@aninhaxavii) em


No início, tudo ok. Tava amando os cachinhos dourados. Mas em agosto, bem no mês da colação de grau, comecei a sofrer com as duas texturas. A raiz ficava armada e o comprimento minguava, e pra completar, as pontas com 2 químicas ficavam cada vez mais danificadas. E como ele estava curto, até pra prender ficava difícil. Tive que fazer chapinha pra colação de grau, e pra outros eventos que vieram pela frente (batismo da afilhada, missa de natal, etc. e tal), e o pior é que o calor da prancha só ressaltava minhas pontas espigadas.

Uma foto publicada por Ana Paula • Uma tal Xavier (@aninhaxavii) em


Os últimos meses de 2015 foram bem sofridos. Meu cabelo embaraçava terrivelmente (era pior do que quando eu era criança e minha mãe penteava ele seco), nenhum penteado dava certo, nenhuma texturização pegava, eu praticamente só saía de casa com um coque ou rabo de cavalo bem apertados pra não correr o risco de soltar na frente de todo mundo. Pensei várias vezes em voltar pro relaxamento (era minha ideia inicial: se eu não curtisse meu visual, voltaria pro salão sem culpa), mas nem isso pude fazer, não tinha dinheiro! Pra vocês terem uma ideia, eu não tinha dinheiro nem pra comprar acessórios pra dar uma disfarçada. Trabalhar pra conseguir uma grana? Nem dava, foi só eu terminar a faculdade e pum: meu pai ficou doente e eu precisava ficar em casa com ele pra que minha mãe pudesse trabalhar e ir pra faculdade.

Eu não tinha outra alternativa a não ser seguir em frente. Cheguei a cogitar o big chop, mas além de me apavorar com a ideia de ter um cabelo ainda mais curto, não queria qualquer pessoa mexendo no meu cabelo, e os salões especializados em cachos definitivamente não cabiam no meu orçamento praticamente nulo. Até que na primeira semana de janeiro de 2016, me veio na cabeça: "caramba, minha afilhada é cabeleireira profissional, como eu não pensei nisso antes?" E então nós cortamos.

Uma foto publicada por Ana Paula • Uma tal Xavier (@aninhaxavii) em


Não foi um big chop, e até hoje dou graças a Deus por isso. Boa parte do cabelo com química foi embora, mas continuei com um comprimento legal. O formato então, nem se fala! De início, meus pais estranharam bastante. Meu pai estranha até hoje e vive mandando eu passar um pente no cabelo (aff kkkkk), mas minha mãe acostumou e hoje em dia ama meu crespo. E eu também amo. A situação melhorou um pouquinho, e deu pra minha mãe me dar um dindinzinho, que eu uso pra comprar produtinhos próprios pra cachos e transição.

Os elogios voltaram a todo vapor, agora somados ao apoio dos amigos. Até o padre da minha igreja curtiu hahaha! A transição ainda não chegou ao fim e eu ainda tenho algumas dificuldades: às vezes ele embola muito, o bad hair day ataca, meu creme de pentear acaba e eu demoro pra repor porque tem que economizar grana... Mas muita coisa melhorou. Hoje eu posso usar cabelo solto sem medo, posso usar minha criatividade e fazer vários penteados lindos. Redescobri meu cabelo, e descobri que ele fica lindo de várias formas.

E pra quem tava morrendo de curiosidade, aí vai minha fotos mais recente. 17 de setembro de 2016: modo black ativado!


Uau, acabou esse post acabou ficando enorme haha! Mas a história é mesmo grandinha, e olha que eu resumi haha! E valeu a pena o suspense do último post, não acham? Espero que tenham gostado! Beijos e até a próxima!

30 comentários:

  1. Li seu post aqui e lembrei da minha época de transição, na época não estava ciente do que era uma transição, apenas tinha passado um tempo alisando e queria mudar sabe, meu cabelo estava feio e frágil. E cara, como foi renovador tirar todo aquele liso que impedia minha auto estima de crescer, que me fazia me esconder atrás de um rabo de cavalo por quase 2 anos da minha vida. Mas a melhor parte foi realmente o reconhecimento das pessoas que me viam todos os dias como aquela menina sem personalidade. Amei sua história, acredito que todas nós que já passamos por este processo sempre temos muito a falar sobre redescobertas, pois tomar a decisão de entrar na transição nada mais é do que redescobrir uma vontade e uma força dentro de você, que muitas vezes não conheciamos.
    Beijos sua linda!
    Blog Insaturada
    Facebook
    Instagram do blog
    Instagram Pessoal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Allana!
      Realmente, é muita, MUUUITA COISA pra falar haha! Não é só uma mudança de visual, é uma transformação que acontece de dentro pra fora, mexe muito com a parte emocional... é muito louco, mas é uma loucura boa!
      Beijão!

      Excluir
  2. TODO mundo tem seus bad hair days! Até eu com cabelo liso! É normal e é pra isso que existe rabo de cavalo, haha! Seu cabelo tá lindo, acho muito mais bonito cabelo natural e bem cuidado, no fim dá o mesmo trabalho do que ficar alisando e jogando quimica, mas acho bem mais original e único ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Vy!
      Verdade, o trabalho acaba sendo quase o mesmo, o que mudou é que agora é mais prazeroso... e econômico kkkkkkk!
      Beijão!

      Excluir
  3. Olá Ana, td bem?
    Primeiro: Parabéns pela coragem, hj em dia acho um máximo que cada vez mais as mulheres estão aceitando sua beleza natural. E vc realmente está muito mais linda com os cachinhos.
    Adorei seu post, seu blog é uma graça :)

    Beijos
    Fran
    Achei e Rabisquei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Fran, que linda você!!
      Muito obrigada, de coração!
      Beijão!

      Excluir
  4. Oii.. O seu cabelo eh lindo!! Eu demorei um tempo para entender esse lance de reconstrucao.. mas a verdade eh que a gente coloca tanta quimica no cabelo, que realmente eh necessario. Parabens, teu cabelo esta lindo. Sabem como dizem ne? “Em terra de chapinha, quem tem cachos eh rainha” (alguma coisa parecida hahahaha). Beijos

    http://www.verdadeescrita.com/amiga-da-vida/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rebeca! <3
      A reconstrução é mesmo super necessária, principalmente pros cabelos quimicamente tratados! Só não podemos fazer direto, senão acaba tendo o efeito inverso e danificando o cabelo. Por isso é tão útil seguir um cronograma capilar <3
      Beijão!

      Excluir
  5. Que linda. Amo cabelo cacheado. É sempre bom estar bem com a gente mesmo. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do seu cabelo com transição. Como você disse é uma mudança que acontece de dentro para fora e acredito que essa aceitação deve ter feito muito bem a você!
    Pois você esta radiante e seu cabelo lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Alana!
      Tá me fazendo um bem enorme mesmo haha!
      Beijão!

      Excluir
  7. Eu acho tão foda quando uma pessoa sai da escravidão de progressivas e chapinhas, e volta ao natural. Hoje em dia, todo mundo quer ter o cabelo liso escorrido, é bem legal quando vejo uma pessoa voltando as "origens". Você em minha opinião fica melhor com seu cabelo natural. <3
    Beijos, www.blogjessribeiro.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Jéss! <3
      Com a graça de Deus, nunca mais vou voltar pra essa escravidão hahaha!
      Beijão!

      Excluir
  8. Nooossa. Seu cabelo da uma novela rsrsrs. Quanta história. Mas valeu a pena viu!? Ficou lindo. Parabéns lindonaaa!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é mesmo enorme, foi bem difícil resumir kkkkk!
      Muito obrigada, Natália! Beijão!

      Excluir
  9. Que história tem seu cabelo hein? nós mulheres não paramos quietas com cabelo né? hehehe
    Mas olha, agora está show, adorei os cachos e o comprimento, como sou apaixonada por cabelos mais curtos, adorei, mantém assim...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, tô tentando sossegar até o cabelo estar 100% virgem de novo, mas já tô morrendo de vontade de pintar haha!
      Muito obrigada, não garanto manter esse tamanho porque eu adoro um cabelão grandão, mas prometo manter os cachos sim!
      Beijão, Andreia!

      Excluir
  10. Acho incrivel quem consegue fazer a transição. É realmente uma transformação de dentro pra fora e você tá fazendo isso lindamente. Amei teu post! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh que lindo! Muito obrigada, Kalyne! ♥♥
      Beijão!

      Excluir
  11. ARRASOU! Acho muito legal as meninas que estão usando os cabelinhos naturais <3 queria ter essa coragem, mas o negócio é a praticidade que ia acabar aqui na minha vida tbm aishaiuhsiuahsuias valeu muito a pena pra você, ficou linda demais!

    talodemaca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Gabbe!! <3
      Eu também pensei muito nessa questão da praticidade, achei que seria totalmente difícil... mas por incrível que pareça tá sendo super "fácil": no dia de lavar dá uma trabalheira do cão kk, mas no day after é só dar uma ajeitadinha com um pouquinho de água e creme; se estiver de bad hair day eu invento um penteado e pronto, fico linda haha!
      Beijão!

      Excluir
  12. Depois de ler o seu post sobre as mudanças que ocorreram no seu cabelo, era impossível não querer ver como ele é hoje. E gente, que coisa mais linda ♥
    Eu tive coragem para cortar o meu uma vez, coisa que não tenho mais, mas tingir não é para mim haha.

    Amei o post <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, muito obrigada!! Fico feliz que tenha gostado! ♥
      Hoje em dia eu tenho um pouco mais de coragem pra lidar com tesoura, mas antigamente era um terror até pra aparar as pontinhas haha!
      Beijão!

      Excluir
  13. Ah que coragem! Já pensei na ideia de passar pela transição, mais acho que não aguento. Já acostumei com meu cabelo lisinho, mesmo com química. Mas adimiro sua coragem! Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Stéfany! Foi uma decisão movida mais pela necessidade do que pela coragem haha, mas valeu a pena <3
      Beijão!

      Excluir
  14. Oie, tudo bem? Imagino o quanto deve ter sido difícil tomar essa decisão e seguir em frente. Usar química durante tanto tempo realmente exige hidratação e muitos cuidados para que ele fique bonito e bem cuidado. No meu costumo fazer progressiva, esses dias tem estado bem fraco e fino. Já estou pensando em fazer botox nele. Amei saber mais sobre sua história. Beijos, Érika *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, cabelo com química requer muito cuidado! Não que o cabelo virgem não precise, mas pelo fato de um relaxamento e/ou uma progressiva alterarem a estrutura do nosso cabelo, precisamos repor massa e nutrientes e manter bem hidratadinhos pros fios continuarem saudáveis!
      Beijão, Érika! Fico super feliz que você tenha gostado!

      Excluir
  15. Ah que linda! Fico tão feliz ao ver uma transição capilar, logo sei que a pessoa é forte, pois não é para os fracos não. Parabéns por isso, e como já disse, tu é linda, um beijo no teu coração <3

    ResponderExcluir